Tuesday, February 01, 2005

UM MOVIMENTO DE CIDADANIA


a) Afinal, “Alqueidão com Futuro” quer ou não pôr em causa o contrato com o Parque Eólico?
- Não, não quer. O Movimento não pretende colocar entraves ao cumprimento do acordo e respeita escrupulosamente o compromisso assumido pela nossa autarquia - a Junta de Freguesia, em representação da população.

b) Como classificam então o acordo?
- Não classificamos. Está assinado é para cumprir. Somos gente honrada e apreciamos que a entidade que nos representa, a Junta de Freguesia, tenha também ela, o mesmo sentido da honra pela palavra dada.

c) O Movimento Cívico é contra o quê ou contra quem?
- O ALQUEIDÃO COM FUTURO é a favor do Desenvolvimento de Alqueidão da Serra e considera que a verba de 2,5% do valor anual da facturação do Parque Eólico (mínimo de 125 mil euros por ano) deve ser justamente entregue à Junta de Freguesia como fiel administradora dos terrenos baldios agora arrendados e pertencentes à população.

d) José Ferreira, presidente da Câmara de Porto de Mós, não tem o mesmo entendimento e diz que, de acordo com a lei, essa verba deverá ser entregue à Câmara Municipal. É este o motivo da discórdia?
- Sim, é esse o pomo da discórdia. José Ferreira faz a interpretação da lei que mais lhe convém. A população do Alqueidão da Serra tem um entendimento diferente. Não é, no entanto, nem à população nem ao presidente da Câmara que compete interpretar a lei. Em última análise, essa é uma questão para ser resolvida em sede de tribunal arbitral.

e) Se a solução para o diferendo vai ser encontrada em tribunal, que sentido faz então um Movimento Cívico como este?
- ALQUEIDÃO COM FUTURO faz todo o sentido. A participação dos alqueidoenses neste Movimento enriquece a qualidade da democracia e contribui para a resolução deste problema a favor da população. Hipotecar o desenvolvimento da freguesia à Câmara Municipal é, antes de tudo, um problema Politico (mas não uma questão partidária e interpela num só sentido todos os Alqueidoense). É neste patamar que queremos e devemos intervir. Este problema só terá uma solução duradoura se for também resolvido politicamente, respeitando a pretensão legítima da população.

f) O Movimento não corre o risco de ser apenas folclore sem grandes poderes para resolver o problema?
- Somos um movimento vivo. Intervimos com alegria e paixão neste problema fulcral para o desenvolvimento da nossa terra. Com perseverança e humildade sabemos até onde podemos chegar. No Alqueidão todos já devíamos saber que vale a pena lutar por causas comuns. Quem não se lembra do problema da central de asfalto às portas da freguesia!?... Temos já alguma experiência que não podemos desperdiçar em favor de interesses alheios...

g) Por esta causa, até onde poderá ir o Movimento?
- A nossa missão é, aproveitando este investimento histórico da instalação da indústria de produção de energia eléctrica, retirar daí TODOS os benefícios que legitimamente temos direito e dotar as futuras Juntas de Freguesia, em nome da população, do máximo de recursos financeiros para o desenvolvimento da nossa freguesia nos próximos 20 anos. Enquanto esta causa existir, o Movimento existirá para lutar por ela.

h) Mas estes 2,5% da facturação que a Câmara reclama não poderão ser investidos pela própria Câmara no Alqueidão?
- Nos últimos anos, a Câmara tem descriminado a nossa freguesia. Recentemente recebeu do Parque Eólico cerca de 430 mil euros que poderia ter investido na nossa terra. Não o fez e e por isso não lhe atribuímos qualquer credibililade nessa eventual intenção criada à pressa. Nunca aceitaremos que condicionem o nosso futuro a eventuais oportunismos politico-partidários movidos por interesses estranhos ao desenvolvimento da nossa freguesia. Quem, melhor do que nós, sabe o que nos faz falta? Mais valem 125 mil euros na nossa mão todos os anos, durante 20 anos, que mil e uma promessas do presidente da Câmara a voar!...

i) Não criticam a actuação da Junta de Freguesia que é do PS e estão a criticar o presidente da Câmara que é do PSD. O Movimento está ao serviço do Partido Socialista?
- O Movimento está ao serviço dos interesses legítimos da população de Alqueidão da Serra e não ao serviço de quaisquer interesses partidários.Não hostilizamos, contudo, nenhum partido político. Temos uma questão com o militante do PSD chamado José Ferreira, mas não confundimos este partido com o presidente da Câmara em exercício. Procuramos fazer Política, no sentido nobre do termo, no espaço da sociedade civil e não no campo partidário. Não somos, contudo independentes: adoramos a nossa terra e lutaremos, unidos, pelo seu desenvolvimento.

j) Este movimento pretende concorrer à Junta de Freguesia nas próximas eleições autárquicas?
- ALQUEIDÃO COM FUTURO não tem qualquer interesse em concorrer às próximas eleições autárquicas. A disputa eleitoral ficará ao cuidado dos partidos políticos. A função do Movimento, nessa festa da democracia que é a campanha eleitoral, consistirá em confrontar os candidatos, quer à Junta de Freguesia quer à Câmara Municipal, com esta questão da renda anual de cerca de 125 mil euros e esclarecer a população sobre o posicionamento de cada um. Estamos certos que, informados, os alqueidoenses saberão de forma consciente votar pelo desenvolvimento da sua terra...

k) Quem é que pertence ao Movimento?
- ALQUEIDÃO COM FUTURO é um Movimento de cidadãos livres e junta em seu redor todos os alqueidoenses de boa-vontade que se identificam com a causa do desenvolvimento de Alqueidão da Serra; todos os alqueidoenses, honrados, que não admitem que alguém se atreva a desviar os nossos recursos para benefício de terceiros. Suporta também o Movimento Cívico a mais representativa instituição da freguesia.

OS 5 PECADOS DO PRESIDENTE DA CÂMARA

Avareza, Inveja, Orgulho, Ira e Preguiça são os cinco pecados capitais que, parece, terem-se apoderado do agente político e presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós.

AVAREZA- Num orçamento de cerca 18 milhões de euros, uma receita alheia de cerca de 125 mil euros (rendimento mínimo estimado do parque eólico do Alqueidão da Serra, motor definitivo do desenvolvimento da freguesia) só faz diferença a alguém possuído do desejo intenso de apropriação dos nossos recursos financeiros. Tal atitude é reveladora da ambição de riqueza, da avidez, da cuncupiscência do actual presidente da Câmara de Porto de Mós.

INVEJA- Avesso em olhar ao seu redor e verificar como é que nos outros concelhos foi resolvida a atribuição da renda dos 2,5% dos respectivos parques eólicos (Pombal, Batalha, Benedita…), o actual presidente da Câmara revela um misto de ódio e desgosto provocado pela prosperidade e alegria dos alqueidoenses, associado ao desejo de possuir um bem que a Junta de Freguesia irá possuir e colocar à fruição de todos os alqueidoenses.

ORGULHO- Não dando ouvidos aos seus pares e afastado da Razão, o actual presidente da Câmara insiste teimosamente na sua fixação. Cheio de si mesmo, com amor próprio exagerado parece ter-se esquecido de exercer com nobreza a função que o população lhe confiou de servir a causa pública.

IRA- Os cidadãos eleitores da freguesia de Alqueidão da Serra escolheram diferente nas últimas eleições autárquicas. O actual presidente da Câmara tem revelado tendência de alimentar uma paixão que incita os autarcas das outras freguesias do concelho contra a nossa freguesia, parecendo possuído por um secreto desejo de vingança política.

PREGUIÇA- Desinvestindo descarada e propositadamente na freguesia de Alqueidão da Serra (porque estamos ricos, diz ele!) o actual presidente da Câmara revela-se indolente, moroso, e até negligente (rotunda do Major que insiste em não construir) em relação à nossa freguesia. Não faz nem deixa fazer.